TDAH – DESATENÇÃO

TDAH – Desatenção

TDAH – transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, predominantemente desatento. O que seria isso?

Quando os sintomas do transtorno na pessoa mediante uma escala, coleta de dados e observação clínica interpretam existir mais características de desatenção do que de hiperatividade-impulsividade.

Muitas crianças com TDAH desatento são meninas. Não aprontam, são dóceis, tímidas mas se um estímulo distrator (barulho, bicho voando, acessórios coloridos e chamativos principalmente nos materiais escolares) ocorre, a atenção falha e para retomá-la é difícil.

Por isso que porcionar os comandos dados e dividir as demandas é mais fácil para obter sucesso. Torna-se confortável obedecer a um comando por vez de alguém de fora e administrar os muitos pensamentos que insistem em roubar-lhe a atenção do que é fundamental no momento.

Já sabemos que o TDAH é um transtorno sério e por isso merece respeito, apesar de uma explosão de casos diagnosticados, temos uma percentagem fidedigna.

O transtorno é de ordem neurobiológica, ou seja, nasce com a criança e se manifesta por volta dos 7 anos, mas tem muitos casos que a partir de 4 anos ou até mesmo em bebês os sintomas já são perceptíveis. Causa prejuízos se não conduzido a uma intervenção precoce terapêutica e acompanhamento médico, medicamentoso ou não.

A questão comportamental do TDAH em evidência é a agitação; hiperatividade física. Mas em muitos casos o TDAH com predominância em desatenção é o que mais requer atenção especial.

Até porque a ciência comprovou que a hiperatividade não é física e sim mental!

A agitação na maior parte das vezes é causada por falta de adaptação aos estímulos sensoriais, e terapia educacional com foco em integração sensorial ajuda a adaptar o cérebro da criança a receber os diversos estímulos sensoriais da forma mais confortável possível. E portanto um cérebro ativo, mas adaptado, consegue se concentrar e reter informações mais facilmente.

Já uma criança que tem o transtorno e os sintomas de desatenção são evidentes é um pouco mais complexo. Pois ela não está evitando ou procurando estímulos sensoriais do meio. Ela simplesmente está sem saber como lidar com todas as informações que a abarcam e é levada pela primeira informação que lhe motiva e nela se fixa.

Para isso devemos preparar esse cérebro para que ele esteja mais em estado de alerta. Com menos divagações e mais foco!

Atividades de figura-fundo, jogo dos 7 erros, torre maluca, o equilibrista, são excelentes atividades para doutrinar a atenção a detalhes em um todo e assim reabilitar esse cérebro a não passar direto pelas coisas escondidas, disfarçadas, sutis.

Não recomendo muito quebra-cabeça, pois se não for do interesse da criança e muito complexo pode se distrair e se fatigar, negando-se a terminar a atividade. Ma se a introdução for progressiva e ao passo que toma mais agilidade, aumenta-se o número de peças. É uma opção.

Isso ajuda na comunicação também, pois imagina uma criança em sala de aula tendo que prestar a tenção a uma ou duas horas sem parar de explicação e atividades. Esse cérebro pifa, não suporta! Nem pessoas que não tem o transtorno não aguenta, começa a se manifestar de alguma forma, pigarreia, mexe-se na cadeira e a atenção já diminui consideravelmente.

Temos que trabalhar com o nosso cérebro mas também devemos respeitar os nossos limites, como, uma pausa para beber água ou ir ao banheiro, uma levantada da cadeira para esticar as pernas.
Um refresco é fundamental para a organização cerebral.

Palavras-chave para crianças com TDAH são: negociação e motivação.

Crianças com TDAH possuem alto grau de criatividade e instabilidade de atenção, voltando-se apenas para o que lhe dá prazer (jogos, video-game) não adianta medir esforços. O poder de argumentação é forte.

O cérebro mais bem preparado para dar desculpas e sair de uma atividade enfadonha, está para nascer.

Mas de qualquer forma todo cérebro precisa de ajustes e do TDAH não seria diferente

Espero que tenham gostado da explicação e das dicas de atividades.

Até o próximo post, psicoamigos.♥️

10 thoughts on “TDAH – DESATENÇÃO

  1. Andreza de Carvalho says:

    Amei. Nem a psicóloga do meu filho me explicou tão bem… preciso mudar a maneira como lido com meu filho. Motivar mais e punir menos…

  2. Andreza de Carvalho says:

    Amei. Nem a psicóloga me explicou tão bem. Preciso mudar o jeito como lido com meu filho. Motivar mais e punir menos… os questionamentos kkkk parece um mini advogado

  3. RHAISA RODRIGUES DA SILVA SOARES says:

    Apesar de não ser da minha área eu estou muito interessada sobre esse assunto,Gostei muito da explicação,foi muito importante,pois na minha casa minha mãe é professora e sempre aborda esses assuntos;

  4. Pingback: FUNÇÕES EXECUTIVAS E TDAH - Encontro do Saber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Open chat
Precisando de ajuda?
Powered by