Psicopedagogia / 2 de novembro de 2016

Causos da vida escolar

Olá pessoal, já estava com saudades de escrever no blog.

A vida de trabalho e estudo é frenética, mas o trabalho aqui no blog não pode parar e conto com a ajuda de vocês para continuar.

Resolvi neste post escrever sobre um tema bastante interessante que é o estudo de caso, que aqui intitulei como Causo da vida escolar. Lembrei de uma situação que aconteceu a pouco comigo no meu trabalho e que veio agora a tona em minha mente e gostaria de compartilhar com vocês e propor que façam o mesmo para que possamos discutir em grupo, as propostas, estratégias e meio de lidar com as situações que ocorrem na vida escolar e social  das crianças, seja em casa, na rua ou nesse caso, que vou relatar, na escola.

O causo escolar recente e no mínimo curioso aconteceu com um aluno do primeiro ano do Ensino Fundamental I, ainda não diagnosticado, onde ele encontrava-se super nervoso, bastante alterado, por conta de um acontecimento novo na família que alterou a sua rotina. O mesmo quis entrar em todos os ambientes sem permissão e o fazia sem pretensão de parar. Foi quando num insight, resolvi dialogar com aquela situação usando do conhecimento prévio do aluno e também interesse póprio, as letras, pedindo que lesse as placas que estavam afixadas nas portas, uma delas informava a seguinte frase: Acesso permitido somente para funcionários da secretaria. Ao ler esta frase, o aluno direcionou o seu olhar para a placa, para mim, foi se acalmando aos poucos e leu palavra por palavra com bastante calma e demosntrando prazer ao fazê-lo e em seguida pediu para que eu explicasse algumas palavras que se apresentavam como difíceis para ele. Após simplificá-las, outras perguntas se originaram e todas elas foram respondidas, inclusive apresentar cada um dos funcionários da secretaria pelo nome e reforçar o comando da porta que permitia apenas a entrada deles no setor.

Com um simples olhar pedagógico voltado para aquela situação, a vontade de dar certo, junto a mudança de foco, o aluno cessou com a insistência de entrar sem permissão e a partir da intervenção de um adulto, ele aprendeu que as portas daquela escola pertenciam cada uma a um setor e que para entrar precisa ser convidado, inclusive a própria sala dele que fiz questão de levá-lo até lá e me fiz esperar na porta batendo em seguida na mesma e pedindo para entrar.

Este causo da vida escolar é um dos muitos episódios que ocorrem no dia a dia com filho, neto, aluno, conhecido, de vocês. Neste exemplo utilizei o conceito de Zona de Desenvolvimento Proximal do autor Vigotsky, onde retrata a mediação do adulto com a criança partindo do que ela já sabe que nesse caso foi o de saber ler (nível de desenvolvimento real) para a contextualização da leitura (nível de desenvolvimento potencial) ou seja que ao realizar a leitura da placa percebeu com ajuda (zona de desenvolvimento proximal) que por aquela porta só poderiam passar pessoas de determinado setor.

A aprendizagem foi estabelecida, as trocas relacionais e afetivas foram firmadas e a criança aprendeu diversos conceitos:

  • ler as placas afixadas nas portas antes de passar por elas
  • Sempre bater na porta antes de entrar
  • Esperar a vez de entrar
  • Respeitar o limite e o espaço do outro

Agora que o causo da vida escolar foi narrado aqui, proponho que independentemente de episódios advindos do âmbito escolar, cada um possa tecer um comentário de um episódio vivenciado, que num primeiro momento não se sabia o que fazer e depois surgiu uma ideia brilhante somada a criatividade e jogo de cintura foi possível contornar e reverter a situação.

Lembre-se que mesmo não tendo sido possível reverter a situação ou até mesmo episódios que ocorrem e não encontra-se solução, são importantes para debatermos.

Escreva para mim, nos comentários ou envie por e-mail que entrarei em contato para ajudá-lo (a).

Juntos somos mais!

“Ninguém educa ninguém como ninguém educa a si mesmo, todos se educam mediatizados pelo mundo”

Paulo Freire






Post anterior
Como montar uma rotina de estudos?
Próximo Post
Autoridade x Autoritarismo




8 Comentários

Nov 02, 2016

Sua atitude com o aluno foi crucial para a resolução do problema sem que houvesse conflito! Atualmente, a maioria não tem esse jogo de cintura e acaba querendo que a criança responda a atos como adultos. Eu mesma às vezes me pego exigindo coisas da Elisa que ela ainda não entende ou não é capaz de fazer sozinha…. A vida acelerada nos faz cometer essas “gafes” com as nossas crianças…. Belo texto!
Bjus


    Nov 03, 2016

    Fico muito feliz que tenha gostado. E agradeço demais por sempre contribuir para o blog. Acredito que os causos, que são os exemplos da vida real são assuntos que interessam a todos.
    Bju grande


Nov 03, 2016

Gostei muitos dos assuntos abordados. Assuntos esses que irão contribuir de forma clara e objetiva para uma melhor contribuição de Pais na vida escolar de seus filhos. Parabéns pelo excelente trabalho !!!


    Nov 03, 2016

    Opa! É isso que espero com o desenvolvimento do blog. Divulgue, compartilhe ajude o blog a crescer e chegar ao máximo de pais e educadores desse país, rs
    Obrigada pelo carinho de sempre e por prestigiar o blog.
    Bju gigante no seu ♥


Nov 03, 2016

Muito bom Thaís! Continue com suas postagens e passando para seus seguidores experiências vividas que são de grande valia na troca pedagógica.
Às vezes nos pegamos em uma situação parecida e nao sabemos o que fazer, e você fazendo suas colocações poderá nos ajudar. Parabéns! !!


    Nov 04, 2016

    Ótimo! Agradeço o incentivo! E é assim mesmo, nos deparamos com situações, onde perguntamos: o que fazer? E é nessa busca por respostas que a motivação de aprender surge. Continue ligadinha nas novas postagens e não deixe de tecer comentários, que são de grande importância para mim e os leitores.
    Abracos e beijos!!!


Nov 07, 2016

Parabéns pelo blog, Thaís. Criar filhos é fácil, mas educá-los, dando-lhes limites, é muito difícil! Quando uma criança vê um adulto com autoridade, que tem convicção do que está fazendo e está no comando da situação, como no caso relatado, ela pode até resistir, mas, no final, acabará acatando e entendendo. Parabéns e obrigada pelas dicas!


    Nov 07, 2016

    Obrigada! Mas preciso discordar de você e lhe parabenizar pelo seu pimpolho, pois criar filho não deve ser fácil. Quanto a educá-lo também é uma tarefa árdua e contínua. Precisamos nos ater que o criar e o educar caminham juntos. Vou escrever mais a respeito sobre isso e dar dicas de como lidar com alguns intempéries nas fases críticas. Mais uma vez obrigada e continue ligadinha no blog.
    Beijo gigante!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.