HIPERSENSIBILIDADE NO TEA

Psicoamigos

Vamos implementar o hábito do Pare, oberve e pense.

Crianças hipersensíveis, buscam evitar o contato e a sensação que lhe causam desconforto e mal estar.

Evitam ir a locais ou participar de situações que contem esta informação sensorial.

Sua forma de demonstrar afeto é diferenciada, pois está sempre em situação de alerta para evitar as sensações desagradáveis, muitas vezes comportando-se de forma hostil e desatenta para os olhos dos outros uma vez que não dão importância a gestos amigáveis e situações rotineiras:

Olhar no olhos
Cumprimentar com abraço
Tolerar uma conversa longa

Para isso podemos:

Submeter as crianças a teoria da ABA – tentativa sucessivas diacretas, ou seja, apresentar gradativamente e com parcimônia os estímulos desconfortantes, seja em qualquer área sensorial:

▶️ Visual: apresentar figuras, quadros, imagens com cores naturais e constantes.

▶️ auditiva: submeter as crianças à canções e ritmos lentos, pouco falatório… a voz humana pode incomodar muito.

▶️ vestibular: tudo que desafie a gravidade: girar, pular, balançar deve acontecer de forma lenta e constante sem movimentos abruptos.

▶️ tátil: tocá-la suavemente, perguntando-a se é permitida tal investida naquele momento, seja um abraço ou toque de mãos.

▶️ gustativa: manter a textura e a temperatura dos alimentos.

▶️ propriocepção: manter o ritmo das ações e atividades motoras.

Tudo isso faz parte de uma dieta sensorial, que serve para acalmar as criancas e trazer o conforto suficiente para de adaptar ao meio social e relacional.

Fonte: A integração sensorial – no desenvolvimento e aprendizagem da criança. Autora: Paula Serrano
Editora: Papa letras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Open chat
Precisando de ajuda?
Powered by